Ele é digno de Gloria e Honra


“Digno és Senhor, de receber glória, e honra, e poder; porque tu criaste todas as coisas, e por tua vontade são e foram criadas". (Apocalipse 4:11).


INTRODUÇÃO: Nos primeiros três capítulos do livro de Apocalipse, João tem uma experiência teofânica com Jesus, ou seja, vê o próprio Mestre ressurreto que tem uma mensagem às sete igrejas da Ásia. No capítulo 4 o apóstolo é arrebatado em espírito para ver as coisas que deverão acontecer. Sua primeira visão é do trono de Deus, cuja glória brilhava intensamente com seres celestiais que o adoravam chamando-o de digno. 


Quando lemos que Deus é digno de receber glória, honra e poder, não significa que ele já não possua tudo isso. A imagem que temos é de um rei com todos esses atributos e que, por isso, deve ser adorado. A expressão “digno é de receber” é um reconhecimento por já possuir determinados atributos. Ele não precisa receber de nós, mas nós precisamos reconhecer e dar tudo a Ele, pois fomos criados para louvá-lo. 


Glória é:
Esplendor – uma caraterística de uma pessoa ou coisa. Glória é a beleza, a grandeza, o poder. Deus é glorioso, Sua glória não depende de nós.

Fama – deriva do esplendor. A glória de Deus é conhecida em todo o mundo e isso é outra forma de glória.

Honra – algo que damos ao que é glorioso. Ao vermos a glória de Deus, nossa resposta natural deve ser reverência e honra. Quando honramos Deus, damos-Lhe glória.


1. Digno de receber a glória O termo “glória” é muito utilizado, mas pouco conhecido. Temos dificuldade de sua aplicação, o que o torna, por vezes, etéreo. Glorificar uma pessoa é reconhecer a sua importância e características que a transformam em uma autoridade, atestando o seu poder. Em Romanos 1.21 - Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu.

Paulo ensina que o cerne do pecado é a não glorificação de Deus como Ele é, mesmo quando já o conhecemos. Dar glória a Deus está relacionado, portanto, a conhecê-lo. Se conhecemos Deus, sua beleza, seu caráter, seus atributos, ofereceremos a ele nossa dedicação de vida, dando a ele, assim, toda a glória.


2. Digno de receber a honra Honra é uma consequência da glória. Quando estamos em uma festa de aniversário, damos honra ao aniversariante, mostrando que ele é importante em nossas vidas. Dar honra a Deus também é consequência de conhecê-lo, pois se ele deve ser glorificado por sua autoridade, caráter e beleza, então uma grande honra deve ser dada a ele.  “Deem graças em todas as circunstâncias, pois esta é vontade de Deus para vocês em Cristo Jesus”.(1 Tessalonicenses 5:18)

Honra e glória caminham juntos e se buscarmos obedecer aos mandamentos de Deus, demonstraremos o seu caráter (glorificando-o) e dessa forma honraremos o seu nome. “Assim, quer vocês comam, quer bebam, quer façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus”. (1 Coríntios 10:31).


  • Perdoando: Deus perdoou todos os nossos pecados! Quando nós perdoamos alguém, mostramos o que Deus faz. O perdão é um grande testemunho. “Suportem-se uns aos outros e perdoem as queixas que tiverem uns contra os outros. Perdoem como o Senhor lhes perdoou”. (Colossenses 3:13)

  • Sendo generoso: O verdadeiro amor se expressa em ações. Quem é generoso mostra amor às outras pessoas que Deus criou. “Nisto conhecemos o que é o amor: Jesus Cristo deu a sua vida por nós, e devemos dar a nossa vida por nossos irmãos”.(I João 3:16).

  • Cuidando da família: Muita gente despreza ou rejeita a sua família. Cuidar da família é reconhecer que Deus criou a família e quer que ela funcione. Honrar os pais é uma forma de honrar a Deus. “Mas, se uma viúva tem filhos ou netos, que estes aprendam primeiramente a por a sua religião em prática, cuidando de sua própria família e retribuindo o bem recebido de seus pais e avós, pois isso agrada a Deus”. (1 Timóteo 5:4).


3. Digno de receber o poder.  A palavra “poder” é a mesma utilizada em Atos 1.8, quando Jesus nos promete doar o Espírito Santo para nos consolar e para que façamos discípulos. Deus é digno do poder que tem, no entanto, somos participantes disso na Grande Comissão. É dos três louvores o único que compartilhamos com Deus nesse mundo, pois todos os outros devemos desejar quando tivermos na pátria celestial, pois lá teremos um corpo glorificado (I Co 15) e de lá devemos esperar o galardão, a nossa honra (Hb 11.26 - Tendo por maiores riquezas o vitupério de Cristo do que os tesouros do Egito; porque tinha em vista a recompensa), mas enquanto isso podemos (e devemos) experimentar o poder de Deus para alcançarmos os perdidos.


CONCLUSÃO: O fundamento para os três louvores citados no texto de Apocalipse 4.11 é o de que Deus criou todas as coisas e que, por sua vontade elas existiram e foram criadas. 
Dessa forma a criação: 1) Revela a bondade de Deus; 2) Exalta sua beleza, santidade e poder e 3) Deve nos fazer louvar o seu nome como Digno.

Por Geciano Vieira

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.