Bolsonaro sobre passaporte de imunidade: “Se passar, eu veto”


Nesta terça-feira (15), o presidente Jair Bolsonaro disse a apoiadores que vetará o “passaporte de imunidade”, caso seja aprovado na Câmara. Para o chefe do Executivo, o documento seria uma forma de obrigar a população a se vacinar contra o novo coronavírus.


– O que tu acha do passaporte da Covid? Aquela onda aí estourou nas mídias sociais. Sem comentários. A vacina vai ser obrigatória no Brasil? Não tem cabimento – declarou Bolsonaro em frente ao Palácio da Alvorada.


O Certificado de Imunização e Segurança Sanitária (CSS) que tramita na Casa Legislativa visa ser um comprovante para que vacinados tenham livre acesso a eventos culturais, viagens e demais locais com restrição. O projeto foi aprovado pelo Senado e agora está em tramitação na Câmara dos Deputados. Para o presidente, o texto não deve receber o aval dos parlamentares.

– Eu não acredito que passe pelo Parlamento. Se passar, eu veto, e o Parlamento tem o direito… Tem o direito, não. Vai analisar o veto. Se derrubar, aí é lei.

O presidente defendeu que cada país deve fazer suas normas, em referência às nações que adotaram a medida, como Japão, Reino Unido, Israel e União Europeia.

– Alguns falam: “Para você viajar, tem que ter um cartão de vacinação”. Cada país [que] faça as sua regras. Se, para ir para tal país, tem que ter tomado tal vacina, se você não tomar, você não entra.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.